Agende e consulte com especialistas mais próximos de você

Destaques da revista

17/08/2015 11:46

Geração Suplementada

Os adolescentes já foram chamados de “geração Coca-Cola”, hoje estão em outra sintonia. Atualmente, o que beber e o que comer vão muito além do prazer. As pessoas estão bombardeadas pela atual ditadura da beleza, na televisão mulheres e homens aparecem com corpos malhados, com baixíssimo percentual de gordura e músculos bem definidos. Por isso, a busca por fórmulas mágicas com intuito de resultados mais rápidos está tão evidente.

Mais do que nunca, as pessoas lotam academias de ginástica, clínicas de estética e de cirurgia plástica, em busca de corpos perfeitos e esculturais. Nessa incessante busca pela perfeição, os jovens que malham e frequentam academias, ingerem diariamente pílulas, shakes e barrinhas com altas concentrações de proteínas, carboidratos e outros nutrientes. São os chamados suplementos alimentares ou suplementos esportivos ou ainda, suplementos nutricionais, que se tornaram uma febre nas academias de ginástica nos últimos anos.

Nas últimas décadas, a prática da suplementação passou a receber um status maior em virtude do grande número de publicações a respeito de seus possíveis benefícios e/ou malefícios. Esse fator pode ser facilmente observado no dia a dia pela quantidade de propagandas de empresas fabricantes e distribuidoras de suplementos alimentares, vinculando a marca/produto a estudos científicos realizados.

Os suplementos alimentares, quando utilizados para aumentar o desempenho de um indivíduo, são denominados recursos ergogênicos (do grego ergo, trabalho; e gen, produção de). Os ergogênicos nutricionais atuam principalmente no aumento do tecido muscular e no fornecimento de energia para os músculos.

O que são suplementos alimentares?

Segundo a portaria no33, de 13 de janeiro de 1998, do Ministério da Saúde, suplementos são vitaminas e/ou minerais isolados ou combinados entre si, que não ultrapassem 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR, sigla em português para Dietary Recommended Intake – DRI). Quando maior que 100% da IDR, o suplemento somente deve ser comercializado sob prescrição médica e/ou de um nutricionista.

Já os recursos ergogênicos nutricionais utilizados na busca de um maior desempenho esportivo, como aminoácidos, hipercalóricos, bebidas isotônicas, produtos à base de carboidratos, entre outros, são classificados, de acordo com a portaria no 222, de 24 de março de 1998, do Ministério da Saúde em cinco categorias distintas:

  • Repositores hidroeletrolíticos: esses produtos são formulados a partir da concentração variada de eletrólitos, associada a concentrações variadas de carboidratos, com o objetivo de reposição hídrica e eletrolítica decorrente da prática de atividade física.
  • Repositores energéticos: são produtos formulados com nutrientes que permitem o alcance e/ou manutenção do nível apropriado de energia para atletas.
  • Alimentos proteicos: são produtos com predominância de proteína(s), hidrolisada(s), ou não, em sua composição, formulados com o intuito de aumentar a ingestão desse(s) nutriente(s) ou complementar a dieta de atletas, cujas necessidades proteicas não estejam sendo satisfatoriamente supridas pelas fontes alimentares habituais.
  • Alimentos compensadores: são produtos formulados de forma variada para serem utilizados na adequação de nutrientes da dieta de praticantes de atividade física.

Por sua vez, o Dietary Suppplement Health and Education Act define suplementos nutricionais como produtos alimentícios acrescidos à dieta e que contenham na sua composição pelo menos um dos ingredientes: vitaminas, minerais, ervas ou plantas, aminoácido, extrato ou combinação de qualquer um desses ingredientes. Define-se também, como suplemento alimentar, algo que é somado à dieta, principalmente pela correção de alguma carência nutricional, não sendo apenas utilizado como recurso ergogênico voltado para o desempenho esportivo.

Quem precisa de suplementação?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde é caracterizada como um completo bem-estar físico, social e mental. Dessa forma, uma pessoa pode estar abaixo de seus níveis ótimos de bem estar celular, orgânico, psicológico e social, e ainda não apresentar nenhum sintoma de doenças; mesmo assim, o seu nível ótimo de saúde pode estar subotimizado. Tal indivíduo, em um conceito mais amplo, não é considerado saudável.

A ingestão adequada de nutrientes é essencial para manutenção da saúde do nosso organismo. Isso fica claro em razão do grande número de estudos realizados que buscam elaborar as recomendações em relação a quantidades ideais de nutrientes que devem ser ingeridas.

Os praticantes de exercícios físicos regulares e, principalmente, os atletas têm uma demanda alimentar superior à das pessoas sedentárias. Dessa forma, podem ocorrer deficiências nutricionais, alterando o desempenho, principalmente quando se trata de esportes de alto rendimento. Nesse sentido, a utilização de suplemento, sobretudo por atletas, torna-se interessante, principalmente quando há lacunas que uma refeição cotidiana não consegue suprir.

Vale ressaltar que, dependendo da dieta, não existe a necessidade do uso de suplementos alimentares. Uma dieta equilibrada pode fazer com que a necessidade de nutrientes ideal seja alcançada, permitindo um bom funcionamento do organismo e até melhoras no rendimento esportivo.

WHEY PROTEIN

Nos últimos anos, os constituintes do leite têm sido reconhecidos como alimentos funcionais, sugerindo que seu uso tem efeitos diretos e mensuráveis sobre a saúde. O whey protein (proteína do soro do leite) é extraída durante o processo de fabricação do queijo e possui alto valor nutricional, com alto teor de aminoácidos essenciais, especialmente de cadeira ramificada. Também apresenta alto teor de cálcio e de peptídeos bioativos do soro. No leite, 80% das proteínas correspondem à caseína e 20% à whey protein.

Pesquisas recentes demonstram grande aplicabilidade do whey protein no esporte, com possíveis efeitos sobre a síntese proteica muscular esquelética, redução de gordura corporal e melhora do desempenho físico. Estudos sobre a análise dos compostos bioativos do whey evidenciam seus benefícios para a saúde humana. Entre esses possíveis benefícios, destacam-se seus efeitos hipotensivo, antioxidante e hipocolesterolêmico.

DICAS


- Procure uma nutricionista para saber a dosagem e a forma correta de utilizar um suplemento. Além de mais seguro, funciona melhor. 
- Duvide de produtos que não apontam os princípios ativos da fórmula e só utilizam apenas o termo “poderosas substâncias” para endossar sua eficácia.
- Certifique-se de que o produto que você pretende comprar está registrado no Ministério da Saúde.


© Copyright 2011
Todos os direitos reservados

 

Fale Conosco

E-mail
meuguiadesaude@gmail.com

Telefones
(65)  98409-0021



Redes Sociais